Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Antigas correspondências

Caro spin médico, você acha mesmo que um artista, digo autista deixaria de 
perder sua espontaneidade para atender a qualquer presença externa? Este 
monólogo foi escrito pela primeira vez no meu corpo, o Corpo de Idéia Sem 
Matéria. Idéia Sem Matéria tomou banho e o livro desapareceu. Ser simples. 
Dormir agora não seria nada mal. Distinta platéia, boa noite.
Caro spin médico, se no diálogo com Ana Maria procuro respeitar a 
participação dos demais, aqui ela é ignorada. Não me interessa o que digam. 
Isto é um monólogo. A minha velocidade, no momento, não é determinada por 
sua velocidade. Não tenho obrigação nenhuma, nem mesmo de nomear um 
interlocutor íntimo=privado, como por exemplo um médico. Não é preciso, uma 
vez que a platéia está lotada. Isto é um monólogo.

Caro spin médico, no momento a Rede de TV Globo News, spin verbalizadora, 
pessoa jurídica, fala de Freud, spin cientista, humano. No momento não estou 
a fim de enveredar pelo mundo científico=temporal. "Não foi Freud, mas os 
artistas, que descobriram o incosnciente (...)" diz o entrevistado. Enfim, o 
mundo sensível=atemporal=simbóligo está bem à frente do mundo 
científico=temporal=racional=cartesiano. Não é que Garotinho, spin 
ex-governador, pertencente à raça humana, está se mantendo vivo às custas da 
água milagrosa? Caro spin médico, no mundo atemporal de Idéia Sem Morte não 
existem partidos, indivíduos jurídicos partidos religosos=políticos nem 
políticos=religiosos. Lá, no lugar dos partidos, existem os CEDEI, Centro de 
Dedicação aos Indivíduos, isto que aqui chamamos de Distritos Policiais. Lá, 
não existe polícia. Nem o Poder Judiciário. Lá não existe a palavra crime. 
Lá, doença se escreve doença=crime. Qualquer doença, inclusive a roubar, 
matar, discriminar, humilhar, etc.
Nem a favor nem contra ninguém. A favor de todos. Sem exceção nenhuma. Até 
mesmo porque somos inacabados. Éramos acabados=perfeitos. Esta sensação de 
acabamento=perfeição era decorrente da nossa incapacidade de perceber, isto 
há 6666.666 anos, quando não éramos incapazes, inclusive de contornarmos uma 
árvore sabendo o que estávamos fazendo. Esta impercepção=cegueira 
espiritual=sexual=material decorreu da ingestão de ácido=limão. Éramos 
macacos. Fui amarrado pelos meus pais ao tronco de uma árvore. Qual o motivo 
do castigo? A dúvida. Não saber se era. O que era. Pai e mãe contra o filho. 
O castigo no tronco. A impercepção do filho. Até o dia em que ingeriu açúcar 
contida nas resinas do angico. Macaco-mito-mitocôndria. Sequência evolutiva. 
Isto é um monólogo. Não é um diálogo. É para ser sentido, não para ser 
explicado.
Caro spin médico, enquanto monólogo há um rompimento com o mundo externo. No 
momento estou em estado de monólogo. Assim, não me interessa o que digam. 
Não me interessa a presença de Ana Maria. Estou tão só como um 
autista=artista. Não quero participar de certos bate-bocas.
Ana Maria, se gosto mais de dialogar ou monologar? Difícil saber. Depende do 
momento. Quando estou dialogando, como agora,sou temporal=real=presente. Já 
enquanto monólogo, atemporal=sub-real=deslocado desta realidade presente. E 
tudo faz parte, inclusive alguém falar através do meu nome. Tudo é 
aprendizado. Tudo leva a um saldo positivo. Nada temo. Há sempre uma saída 
mais do que positiva. A maldade não existe. Tudo é deiscente. No lexômetro 
de Idéia Sem Morte no Coração da América Latina não existe a palavra 
decente. Existe sim, a deiscência, não a decência. Deiscência se refere a 
abertura do fruto deiscente para espalhar as sementes. O jequitibá, por 
exemplo, produz frutos deiscentes. O universo é um fruto deiscente. Daí a 
explosão primordial, isto que os cientistas chamam de Big Bang mas que, no 
livro "A História de Idéia" é a GDE, sigla de Grande Deiscência 
Estelar=Estrelar. Como você vê, no momento, não estou mais dialogando com 
Ana Maria. Começou o monólogo.

Abraço=grato,

José Carlos Lima

Goiânia - Rio Meia Ponte

* Spin é a sigla de Sistema Poético=Patológico Informativo Nato. Cada 
indivíduo, seja ele pertencente ao reino animal dos vírus aos dinossauros, 
ao reino humano, bem como ao universo das pessoas jurídicas, é um spin, 
existindo o spin temporal, atemporal, mensageiro, pedreiro, cantor...Um spin 
atemporal é um ponto cego. Um buraco-negro. Não tem compromisso como o 
tempo=espaço. A sua obra se parece ao monólogo de um artista=autista. Já o 
spin temporal dialoga e está atento ao tempo=espaço do outro. Este texto 
foi produzido no espaço dos comentários do Blog do Josias. Entre no site 
www.folhaonline.com.br. Clique em blogs. Em seguida, clique em Blog do 
Josias. A primeira versão deste texto está no " " que pode 
ser encontrado no arquivo / /2006 a / /2006 . Este texto pode 
ser encontrado no blog www.josecarloslima.zip.net. As imagens no fotoblog 
www.josecarloslima.nafoto.net. Será criado um pod casting para inserção de 
áudios e um site específico para a veiculação de vídeos resultantes deste 
spin

Para deixar de acompanhar este spin responda om cancelar

_________________________________________________________________
Seja um dos primeiros a testar o Windows Live Messenger Beta a geração do 
seu MSN Messenger. 
http://imagine-msn.com/minisites/messenger/default.aspx?locale=pt-br

Nenhum comentário: